...

Vida com Deus, requer posicionamento. Qual o seu?

Igreja Viva | publicado há 5 meses

As memórias são um tesouro a ser guardado. Talvez você estranhe o começar assim esse texto, mas existe uma razão clara e que se associa a uma história contada sobre a origem da palavra sinceridade. 

Dizem que o oleiro sabe o valor do vaso de barro, quando ele é exposto ao sol. Aquele que não tem defeito passa pelo teste de qualidade, ele não é coberto de cera, cuja finalidade é esconder as imperfeições. Por isso que a palavra sinceridade pode ser associada à ação de qualidade, pois é destituída de imperfeições, ou seja, sem cera. 

O texto “Se quereis voltar ao Senhor com toda a sinceridade, lançai fora os deuses estrangeiros e as astarotes, dedicai o coração ao Senhor e cultuai somente a ele; e ele vos livrará da mão dos filisteus” retratado em I Samuel 7.3

traz como cerne uma decisão: a sinceridade, apresentada como uma ação que indica desejo, compromisso, reconciliação e arrependimento. Evidenciando que diante de Deus, faz-se necessário se apresentar por inteiro. Isso implica destituir-se daquilo que pode ser uma barreira para que se tenha um relacionamento sincero e significativo com Deus

O contexto deste versículo é elucidador, visto evidenciar a posição esperada do povo de Israel para que pudesse viver com a direção e o propósito corretos, que são contrários às práticas por ele efetivadas. O povo de Israel precisava tomar uma decisão e voltar-se para Deus. Para isso, era essencial que renunciasse ao culto idólatra, associado ao misticismo, aos fenômenos da natureza e aos desejos carnais presentes como marcas da adoração a deuses estrangeiros e que resultavam na busca pela erotização, fertilização e superstição. Essas práticas afastavam o povo do caminho de Deus, além de provocar atitudes divergentes aos Seus princípios. 

Infelizmente, existem situações em que as práticas de adoração aos ídolos se fazem presentes, quando ocupam a centralidade e a razão da vida. Essa centralidade afasta o ser humano de conhecer com profundidade o Senhor de tudo, que está acima de todos. Muitas vezes, essas práticas podem ser consideradas bem-intencionadas e que não ferem ao outro, antes refletem o cuidado excessivo, a busca pela justiça e ações compassivas, porém, o resultado produzido pode gerar vaidade, egoísmo, autonomia e orgulho, principalmente, quando se pensa no reconhecimento e na projeção advindos dessas atitudes

É por isso que o ato de se voltar para Deus, requer um posicionamento firme que envolve dedicação e reconhecimento de Sua soberania e governo. Não se trata do que se pode fazer ou ser, mas, da adoração ao Senhor. Afinal, somente em Deus é que se pode descansar com segurança, pois é Ele que dará o livramento total. Aprende-se que viver com Deus é um ato de adoração genuína guiada pela sinceridade de mente e coração. 

Viver com Deus, é uma manifestação do querer e do desejar estar em Sua presença. Assim, o posicionamento é uma marca de compromisso assumido e que não cabe enganos e/ou insinceridades. É preciso ir ao encontro do Senhor e aceitar a Sua direção, o que requer dedicação e a prática da verdadeira adoração. 

Então, como você descreveria sua vida com Deus? Ore ao Senhor e se entregue com sinceridade em Suas mãos, porque somente Ele pode cuidar de você com inteireza. Creia nisso. Excelente semana

Escrito por: Gleyds Silva Domingues 

VIDA IBB

retrospectiva
...
Igreja Viva | publicado há 1 mês
Igreja Viva

ver todas