...

Uma dança complexa

Igreja Viva | publicado há 8 meses

Quando olhamos para a experiência do adultério de Davi e Bate-Seba, conseguimos identificar que um homem segundo o coração de Deus (Davi – Atos 13.22), maculou sua linda história e trouxe inúmeros reflexos negativos para sua vida e sua família, como consequência de seu pecado na área sexual que desdobrou em outro pecado, que foi articular a morte de Urias no campo de batalha.

Quando Davi é confrontado por Natan (2 Samuel 12), observamos que é destacado a ação inconsequente de Rei na prática do pecado, no entanto, se olharmos com mais cuidado o contexto histórico, houve igualmente uma coparticipação de Bate-Seba, pois não zelou pela privacidade de seu próprio corpo, não observou o horário e o local para se banhar com segurança, dentre outras ações intencionais, principalmente em não aceitar se deitar com outro homem, seja ele quem for, mantendo a integridade como algo inegociável. 

O nosso querido irmão Carlos Catito, no livro que temos estudado neste mês, cita uma metáfora interessante, onde diz que “é preciso dois para se dançar o tango”, ou seja: em uma dança relacional complexa não existe uma relação algoz-vítima, mas todos os elementos são igualmente responsáveis no processo.

Diante das observações acima, quero destacar que em um relacionamento, assim como na dança do tango, temos que assumir a nossa autorresponsabilidade, ou seja, cada um deve assumir a sua parte para um relacionamento saudável.

É muito comum em uma crise conjugal e familiar, justificar a dificuldade apontando o erro do outro, pois é uma grande dificuldade para nossa natureza humana, reconhecer o erro, e buscar identificar a nossa responsabilidade para um problema que há coparticipação.

Logicamente não estou afastando as exceções de relacionamentos abusivos, onde normalmente ocorre abuso de uma das partes, mas estou olhando para o padrão mais comum de crises conjugais que envolve a imoralidade sexual como pornografia, adultério, falta de perdão, dentre outros. 

Em todo relacionamento, nada justifica a quebra da integridade, sendo que, devemos intencionalmente assumir a nossa responsabilidade diante de Deus, enfrentando as consequências de nossos erros, buscando crescer no processo de santidade e fortalecimento das alianças relacionais

Que Deus te abençoe e te capacite a viver uma vida leve, com autorresponsabilidade, buscando cada dia mais viver santidade em seus relacionamentos.  

Pr. Edemilson Vieira

Acompanhe na íntegra as mensagens relacionadas a esse tema, que estão disponíveis logo abaixo. 

Confira:


 

VIDA IBB

retrospectiva
...
Igreja Viva | publicado há 1 mês
Igreja Viva

ver todas